BOA - Brasília Outdoor Adventure
ESPORTIVOS

BOA - Brasília Outdoor Adventure

 21/09/2018        Brasília
OPÇÃO KIT VALOR LOTES QUANTIDADE
SHORT solo R$ 374,50 Valores Inscrições Encerradas
SHORT dupla masculina R$ 749,00 Valores Inscrições Encerradas
SHORT dupla feminina R$ 749,00 Valores Inscrições Encerradas
SHORT dupla mista R$ 749,00 Valores Inscrições Encerradas
PRO solo R$ 374,50 Valores Inscrições Encerradas
PRO dupla masculina R$ 749,00 Valores Inscrições Encerradas
PRO dupla mista R$ 749,00 Valores Inscrições Encerradas
PRO quarteto misto R$ 1.498,00 Valores Inscrições Encerradas
TREKKING dupla masculino R$ 199,02 Valores Inscrições Encerradas
TREKKING dupla feminina R$ 199,02 Valores Inscrições Encerradas
TREKKING dupla mista R$ 199,02 Valores Inscrições Encerradas
TREKKING dupla masculino (sem kit) R$ 119,41 Valores Inscrições Encerradas
TREKKING dupla feminina (sem kit) R$ 119,41 Valores Inscrições Encerradas
TREKKING dupla mista (sem kit) R$ 119,41 Valores Inscrições Encerradas

DESCRIÇÃO DO EVENTO

Corrida de Aventura, esporte que une as modalidades olímpicas de corrida, canoagem, Mountain bike e  orientação (por mapa e bússola), praticada em equipes e em meio à natureza. Nossa prova é a oitava etapa (num total de 11) do Circuito Brasileiro SPOT de Corrida de Aventura, que é o campeonato nacional da modalidade, sob supervisão da Confederação Brasileira de Corrida de Aventura. Nosso evento conta, ainda, pontos para o Ranking Brasileiro de Corrida de Aventura (www.rbca.com.br).

PERCURSO

PRO:
- 50 a 75km (total das três modalidades);

- Duração de 6h a 12h;

- Dificuldade técnica: alta;

- Voltado para atletas experientes no esporte



SHORT:

- 20 a 30km (total das tres modalidades);

- Duracao de 2h a 5h;

- Dificuldade tecnica: baixa;

- Voltado para iniciantes no esporte.


TREKKING

- 5 a 10km (somente a modalidade corrida de orientação sem trechos de bicicleta nem caiaque);

- Duracao de 1h a 2h;

- Dificuldade técnica: média;

- Formato ROGAINE

- Voltado para atletas iniciantes que não querem pedalar nem remar, apenas correr. E uma porta de entrada para maiores desafios futuramente no esporte.



REGULAMENTAÇÃO

1.DEFINIÇÃO E REGRAS BÁSICAS

1.1 Corrida de aventura é um desporto realizado em ambiente natural, composto das modalidades corrida/trekking, mountain bike e alguma modalidade aquática (canoagem, natação, bóia-cross, canyoning ou alguma outra anunciada previamente pela organização), sem percurso demarcado (a menos de pequenas exceções por motivos de força maior), em que as equipes determinam seus caminhos navegando por mapa e bússola; a prova pode conter ainda outras modalidades-surpresa como técnicas verticais (rapel, tirolesa, falsa baiana, escalada etc.), cavalgada, patinação, ginástica, etc. A organização se obriga a informar com pelo menos um mês de antecedência caso alguma modalidade-surpresa venha a fazer parte da prova;

1.2 Posto de Controle (PC): local indicado pela organização por onde as equipes devem passar obrigatoriamente na ordem sequencial numérica e na modalidade indicada no racebook (ver item 1.5).

1.2.1 Os PCs poderão ser humanos (um fiscal com planilha, anotando tempos e colhendo assinatura dos capitães das equipes) ou virtuais (sem presença de fiscal com planilha);

1.2.2 No caso de PCs virtuais, a passagem da equipe pode ser confirmada de uma das seguintes formas:
1.2.2.1 pode haver um picotador para furar, no local adequado, o cartão de picote fornecido pela organização;
1.2.2.2 pode haver uma base eletrônica na qual as equipes marcarão a passagem com um chip do tipo SI-Card;
1.2.2.3 ou mediante fotografia dos integrantes da equipe no local indicado;
1.2.2.4 ou, ainda, pela leitura/observação de alguma mensagem ou objeto presente no local indicado, a ser informada para o próximo fiscal de PC humano.

1.2.3 Os PCs devem ser visitados obrigatoriamente em ordem numérica, exceto em alguns trechos em que haja ordem expressa da organização da prova;

1.2.4 A não passagem por qualquer dos PCs, exceto aqueles definidos nos cortes (ver item 1.10), implica desclassificação da equipe.

1.3 Área de Transição (AT): local pré-determinado onde ocorre uma troca de modalidade esportiva. Obrigatoriamente, todo AT é também um PC.

1.4 Mapa(s): Documento (ou conjunto de documentos) que representa em escala (1:10000, 1:25000, 1:50000 ou alguma outra julgada conveniente pela organização) o terreno no qual será realizada a prova. Contém informações de hidrografia, estradas e trilhas, da forma mais precisa que foi possível levantar, mas sem garantia de estar 100% atualizado. Recomenda-se que o atleta sempre utilize múltiplas informações para tomada de decisão na escolha de rota;

1.5 Racebook: Documento entregue às equipes durante o simpósio técnico, informando em que modalidade cada PC deve ser visitado e observações adicionais; o racebook tem valor de regulamento e as informações ali contidas são soberanas;

1.6 Classificação: As equipes serão classificadas pela ordem em que cruzaram a linha de chegada comprovando passagem em todos os PCs, na ordem correta, após a aplicação de eventuais penalizações ou bônus de tempo, considerando-se os cortes (ver item 1.10);

1.7 Simpósio Técnico: Evento de presença obrigatória aos capitães de todas as equipes, e recomendado para todos os atletas. É realizado na véspera da prova, em local a ser definido e publicado com pelo menos uma semana de antecedência. É composto das seguintes atividades:

1.7.1 Check-in das equipes: confirmação de presença da equipe, atribuição de numeral e retirada dos kits-atleta;

1.7.2 Checagem de equipamentos obrigatórios: verificação, por parte da organização, se as equipes dispõem de todos os equipamentos obrigatórios para participar da prova (ver lista em arquivo anexo); atentar ainda para o item 2.6;

1.7.3 Entrega dos mapas e racebooks;

1.7.4 Briefing: palestra técnica (de presença obrigatória para pelo menos um atleta por equipe) em que o mapa e o racebook são explicados em detalhes e informações imprescindíveis para o bom e seguro andamento da prova são repassadas às equipes

1.8 Percursos: a prova contará com dois percursos: SHORT e PRO. O site www.brasiliaoutdooradventure.com.br deve ser consultado para as distâncias de cada modalidade e total de cada um dos percursos;

1.8.1 O percurso SHORT é pensado para atletas iniciantes no esporte corrida de aventura. A navegação é mais simples, a prova se desenrola somente durante o dia, com luz natural, os trechos não contam com muitas dificuldades técnicas; a lista de equipamentos obrigatórios é mais reduzida;

1.8.2 O percurso PRO é pensado para atletas experientes no esporte corrida de aventura. A navegação é difícil, existe a possibilidade de equipes não concluírem a prova com luz natural, os trechos podem conter dificuldades técnicas; a lista de equipamentos obrigatórios é mais extensa;

1.8.3 O desafio TREK é pensado para atletas que ainda não dominam as modalidades mountain bike e canoagem. A navegação pode ser simples ou mais difícil, dependendo das escolhas dos atletas;

1.8.4 O Rogaine envolve estratégia e navegação entre os PCs (Pontos de Controle), As duplas fazem os percursos somente a pé, navegando com mapa e bússola. As equipes selecionam sua própria ordem de visitação dos PCs. Cada ponto de controle tem um valor diferente um do outro, dependendo da dificuldade do terreno e dificuldade técnica, podendo valer entre 10 e 50 pontos. A dupla deve definir em quais os controles ela pode visitar e assim somar a quantidade de pontos em que julga suficiente para poder vencer a prova. O tempo para realização do percurso é de 1 hora. Cada minuto excedente representa 10 pontos a menos no total de pontos da equipe;

1.9 Categorias:

1.9.1 Percurso SHORT: Solo, dupla masculina, dupla feminina e dupla mista;

1.9.2 Percurso PRO: Solo, dupla masculina, dupla mista e quarteto misto (pelo menos um integrante de sexo oposto aos demais);

1.9.3 Desafio TREK: dupla masculina, dupla feminina e dupla mista;

1.9.4 As categorias solo feminino e PRO dupla feminina somente serão abertas e receberão premiação caso haja, 30 dias antes da prova, pelo menos 5 (cinco) equipes em cada categoria; caso contrário, para efeito de premiação, as atletas solo serão classificadas junto com os atletas solo masculino e as duplas femininas serão classificadas junto com as duplas mistas;

1.10 Corte: Percurso alternativo, definido no racebook, que os participantes são obrigados a fazer caso não cheguem a um dado PC no prazo máximo pré-estabelecido. Por exemplo, para uma prova com 25PCs, pode-se estabelecer um corte às 14h para o trecho entre os PCs18 e 22. Nesse exemplo, as equipes que chegarem no PC18 após as 14h não passarão pelos PCs 19, 20 e 21, devendo ir diretamente ao PC22 e prosseguir a prova a partir daí; diz-se, nesse caso, que essas equipes foram cortadas no PC18.

1.10.1 As equipes cortadas não estão desclassificadas; serão classificadas imediatamente após as equipes não-cortadas, mesmo que cruzem a linha de chegada antes delas;

1.10.2 Havendo mais de um corte, a classificação do corte mais cedo precede a classificação do corte mais tardio; em outras palavras, equipes que passaram pelo primeiro corte mas não pelo segundo estão classificadas na frente daquelas que não passaram pelo primeiro, mesmo que tenham passado pelo segundo, e assim sucessivamente, para todos os cortes que a prova possuir;

1.10.3 O objetivo do corte é permitir que equipes que estejam mais para trás possam completar a prova sem serem desclassificadas;

1.10.4 A organização poderá redefinir pontos de corte no decorrer da realização da prova sempre que julgar necessário para o bom andamento da mesma.

1.11 Prova sem apoio: Durante toda a prova, as equipes não poderão ter contato com equipes de apoio; ou seja: não podem receber alimentação, hidratação nem pegar ou deixar equipamentos com nenhuma pessoa que não faça parte da organização, exceto em locais e situações expressamente autorizados pela organização. Entretanto, podem comprar bebidas, alimentos ou mesmo peças de reposição em lojas disponíveis na área da prova, em caso de necessidade.

1.12 Penalizações.

1.12.1 São faltas passíveis de desclassificação da equipe:

1.12.1.1 Deixar de comprovar passagem por algum dos PCs;

1.12.1.2 Utilizar qualquer instrumento eletrônico de navegação via GPS;

1.12.1.3 Jogar voluntariamente qualquer tipo de lixo na natureza;

1.12.1.4 Deixar de utilizar, por qualquer tempo, capacete em trechos de mountain bike ou colete salva-vidas em trechos de canoagem, bem como capacete em trechos de outras modalidades em que seu uso for definido como obrigatório no briefing;

1.12.1.5 Passar, voluntariamente e com o intuito de "cortar caminho", por áreas expressamente mencionadas como proibidas pela organização; a intenção será julgada pela organização caso a caso;

1.12.1.6 Dirigir-se repetidamente de maneira desrespeitosa a outros atletas e a membros da organização; a primeira menção de desrespeito será punida com uma advertência; a repetição no comportamento desrespeitoso ensejerá a desclassificação da equipe;

1.12.2 São faltas passíveis de aplicação de penalização por tempo, a ser adicionado no tempo total da equipe, ensejando a sua reclassificação de acordo com esse tempo total (a penalização será decidida pelo organizador, em caráter irrevogável):

1.12.2.1 Deixar de portar algum equipamento obrigatório, exceto o mencionado no item 1.12.1.4;

1.12.2.2 Realizar trecho em modalidade distinta da definida pela organização;

1.12.2.3 Deixar cair, de forma involuntária, algum tipo de lixo na natureza;

1.12.2.4 Passar, involuntariamente e sem o intuito de "cortar caminho", por áreas expressamente mencionadas como proibidas pela organização; a intenção será julgada pela organização caso a caso;

1.12.2.5 Receber qualquer forma de apoio externo não autorizado pela organização;

1.12.2.6 Deixar de observar instruções de segurança da organização;

1.12.2.7 Deixar de carregar equipamentos (por exemplo, mas não restrito a, caiaques e remos) até o local indicado pela organização;

1.12.2.8 Equipes se deslocarem com distâncias superiores a 100 metros entre seus integrantes, exceto em trechos expressamente permitidos pela organização.

2. COMPETENCIAS DA ORGANIZAÇÃO

2.1 A organização da corrida será de responsabilidade da Brasília Outdoor Adventure, com anuência da CBCA  - Confederação Brasiliera de Corrida de Aventura;

2.2 Os diretores de prova são os responsáveis por executar as datas e disposições deste regulamento justificando as alterações quando cabíveis. Casos omissos serão decididos pelo diretor de prova;

2.3 A menos que haja alteração por parte da direção da prova as instruções constantes no racebook são soberanas. Eventuais alterações podem ocorrer antes ou durante a competição, desde que comunicadas em tempo hábil a todas as equipes a quem possam influenciar;

2.4 A organização se reserva o direito de realizar um único briefing de prova;

2.5 A checagem de equipamentos obrigatórios poderá ser realizada antes, durante ou após a prova;

2.6 A checagem de equipamentos poderá ser realizada por amostragem estatística, o que significa que pode haver checagem de apenas alguns dos equipamentos e de apenas algumas equipes;

2.7 Quando houver qualquer risco de vida, a critério da organização, o diretor de prova poderá acionar o resgate de qualquer integrante da equipe, mídia ou fiscal de prova, sendo o ônus do resgate de responsabilidade do resgatado. A organização, no entanto, só fará o resgate se houver condições adequadas de segurança para quem está resgatando ou sendo resgatado;

2.8 A organização da prova não cobre despesas médicas além dos primeiros socorros prestados no local. Caso necessite remoção, atendimento ou internação hospitalar, estes serão de responsabilidade do próprio atleta;

2.9 No caso de condições climáticas adversas ou por razões de segurança, a organização se reserva o direito de cancelar e/ou alterar o percurso e/ou etapas sem aviso prévio e sem ônus à mesma, inclusive durante o andamento da prova;

2.10 Em casos não descritos neste regulamento, a decisão da organização será tomada através de uma comissão formada por três capitães de equipe (não interessadas no caso em tela), junto com os dois diretores de prova.  A decisão desta comissão é incontestável.

3. PREMIAÇÃO

3.1 Todos os atletas que completarem a prova receberão medalhas de finisher;

3.2 Serão premiadas com troféus as três primeiras equipes de cada categoria, ressalvado o disposto no item 1.8.3;

3.3 Na medida dos apoios obtidos, as equipes serão premiadas com brindes dos patrocinadores;

3.4 Não existe divisão de categorias por faixa etária.

4 EQUIPAMENTOS PROIBIDOS

4.1 GPS ou qualquer outro equipamento de auxilio de navegação
4.2 Cartas ou mapas não fornecidos pela organização;
4.3 Armas;
4.4 Equipamento de visão noturna.

5. RECURSOS 

5.1 Os recursos devem ser apresentados por escrito à organização no prazo máximo de até duas horas após a chegada da equipe reclamante.
A CBCA somente julgará recursos depois de esgotadas as instancias anteriores, na forma estatutária.

6. POLÍTICA DE CANCELAMENTO

6.1 A taxa de 7% que o site de inscrições cobra não pode ser ressarcida;
6.2 Desistência até 45 dias antes da prova: ressarcimento de 80%;
6.3 Desistência até 30 dias antes da prova: ressarcimento de 50%;
6.4 Após 30 dias antes da prova, os valores não mais podem ser ressarcidos.